Ocorreu um erro neste gadget

domingo, 23 de agosto de 2009








Pai, afasta de mim esse cale-se

"Glendoline puxou uma cadeira e começou a falar. E como falava. Se fosse uma esfinge, ia falar, se fosse uma pedra, ia falar. Quando é que ela vai se cansar e sair, fiquei pensando. Mesmo quando parei de escutar, era como se eu estivesse sendo bombardeado com minúsculas bolinhas de pingue-pongue. Glendoline não tinha nenhuma noção do tempo e não se tocava que podia estar incomodando. Ela falava, falava. Meus personagens falam demais. Todo mundo fala demais."

Nenhum comentário:

Postar um comentário